Domingo, 28 de Novembro de 2021
11 98117-1436
Saúde Ceará

HRN e HRC atendem e acolhem mulheres vítimas de violência no interior cearense

O Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher é lembrado nesta quinta-feira (25). A data reforça a importância do cuidado às mulheres vítima...

25/11/2021 11h30
Por: Redação CNE Fonte: Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

O Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher é lembrado nesta quinta-feira (25). A data reforça a importância do cuidado às mulheres vítimas de violência – seja ela física, sexual, patrimonial, moral ou psicológica. Na Rede da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), dois hospitais no Interior realizam atendimento deste público. O Hospital Regional Norte (HRN), em Sobral, é referência para atendimento de vítimas de violência sexual, enquanto o Hospital Regional do Cariri (HRC), em Juazeiro do Norte, acolhe mulheres que sofreram violência física. As unidades são administradas pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH).

Mulheres e crianças menores de 14 anos vítimas de violência sexual no Norte cearense contam com um serviço de referência no HRN que funciona 24 horas, todos os dias da semana. O acesso ocorre pelas Emergências Adulto e Pediátrica, reguladas via Central Estadual de Regulação do Sistema Único de Saúde (SUS) e diretamente pela porta do Centro de Apoio à Saúde Reprodutiva da Mulher (CASRM) do hospital, na Avenida John Sanford. Desde 2015, já foram atendidas 62 vítimas de violência sexual – destas, sete foram neste ano.

As pacientes recebem assistência psicológica e social, correção de possíveis traumatismos genitais, contracepção de emergência e medicamentos para prevenção de infecções por HIV, outras doenças sexualmente transmissíveis e hepatites. Todos os atendimentos são realizados no equipamento de forma integrada. Pacientes do sexo feminino com menos de 14 anos são acompanhadas na Pediatria e têm interconsulta com um ginecologista.

O atendimento à vítima de violência sexual precisa ser realizado o mais rápido possível, segundo a coordenadora médica da Obstetrícia da unidade, Eveline Valeriano Moura Linhares. “Quem for vítima de violência sexual, deve procurar o atendimento o mais breve possível. Quando esse atendimento é feito em até 72 horas, alguns medicamentos podem ter um melhor potencial de ação, evitando uma gravidez indesejada e doenças sexualmente transmissíveis”, avalia a obstetra.

O HRN conta com um protocolo de atendimento e um fluxo de acesso das pacientes para “dar agilidade ao atendimento, preservando a autonomia e privacidade, promovendo segurança e apoio, reduzindo os traumas de intervenção e a vitimização secundária”, destaca Linhares. Após a alta, as pacientes são encaminhadas para o Centro de referência em Infectologia de Sobral (Cris), para seguimento.

Nesta quinta-feira (25), uma ação será realizada para discutir formas de prevenção e cuidado da paciente vítima de violência sexual. A iniciativa passará nos diversos setores que acolhem pacientes neste perfil: Emergências Adulto e Pediátrica, Recepção, Transporte, Laboratório e Farmácia. “Queremos que todos os envolvidos nessa assistência procurem ser discretos e que possam acolher essa paciente”, orienta a médica.

Hospital Regional do Cariri

No HRC, unidade referência em trauma na região, mulheres vítimas de agressões físicas buscam atendimento por meio da Emergência do hospital. No ano passado, foram 17 atendimentos a este público. Neste ano, até o dia 23 de novembro, já foram 24 casos, o que representa um aumento de 41%. O número é considerado alto, visto que as vítimas precisaram de atendimento médico hospitalar de emergência após as agressões.

O atendimento médico, muitas vezes, é o primeiro buscado pela vítima. Por isso, em alguns casos, as notificações e os encaminhamentos para as autoridades partem da unidade hospitalar. Os profissionais de saúde devem fazer a notificação compulsória de casos confirmados ou suspeitos de violência contra a mulher, mesmo que ela não queira seguir com a denúncia.

Há também os casos em que as vítimas não informam o que de fato ocorreu. Segundo Amanda Leite, coordenadora do Serviço Social do HRC, os trabalhadores de saúde têm um olhar sensível para reconhecer quando a lesão não é compatível com o relato da vítima e, nesses casos, é feita uma investigação por meio de entrevista para tentar descobrir se realmente a mulher sofreu agressão, mesmo que ela omita a informação.

“A violência contra a mulher muitas vezes é invisibilizada por estar atrelada a fatores culturais, principalmente aqui na nossa região, o que dificulta a denúncia e torna a mulher agredida ainda mais vulnerável”, observa Leite.

Por isso, a notificação compulsória, embasada por lei, é tão importante. A coordenadora destaca que o número de atendimentos na unidade preocupa, porque “nós temos 24 mulheres que precisaram de atendimento médico, mas nós não sabemos de fato quantas foram agredidas, quantas precisaram de atendimento e não tiveram, ou que continuam vivendo em um ambiente de violência”.

Serviço

Hospital Regional Norte
Centro de Apoio à Saúde Reprodutiva da Mulher (CASRM)
Endereço: Avenida John Sanford, s/n
Contato: (88) 3677-9300

Hospital Regional do Cariri
Endereço: R. Catulo da Paixão Cearense, s/n – Triângulo, Juazeiro do Norte
Contato: (88) 3566-3600

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Canindé - CE
Atualizado às 04h22 - Fonte: Climatempo
25°
Pancada de chuva

Mín. 25° Máx. 37°

25° Sensação
12 km/h Vento
96.6% Umidade do ar
90% (3mm) Chance de chuva
Amanhã (29/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 37°

Sol e Chuva
Terça (30/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 36°

Sol e Chuva