1 comentário em “A LENTA AGONIA E MORTE DE JOCA

  1. A princípio, fiquei em parte duvidoso e, de outra parte, inconformado que PEDRO PAULO PAULINO, senhor de admirável e aguçado senso crítico, tivesse entrado na onda midiática e sensacionalista sobre a morte de um cachorro. Talvez haja quem me reclame por causa do artigo indefinido, em vez de “o” cachorro.
    Ou mesmo Aquele cachorro.
    Eu aguardava atendimento num laboratório. Então, tive que suportar Ana Maria Braga explorar a morte do tal cachorro e a voz chorosa de seu proprietário, cuja solidão chegava às raias da viuvez.
    Felizmente, Pedro Paulo Paulino definiu e descreveu com a costumeira inteligência e perspicácia o que ocorre com milhares (ou milhões?) de cães e gatos; e, muito pior, com seres humanos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *